Planetóide X

Dragon Age virá sem DRM

quinta-feira, junho 25, 2009 José Guilherme Wasner Machado 2 Comentários Categoria: , , ,

[via Arstechnica] Ótimas notícias: o aguardadíssimo Dragon Age, o novo RPG da Bioware e também sucessor espiritual de Baldur's Gate (para mim, a melhor série de RPGs já feita), não usará SecuROM e nem exigirá ativação online. Será feita apenas uma checagem do disco.

SecuROM é um programa de DRM (Digital Rights Management) da Sony, que vem sendo adotado pela Bioware para proteger seus jogos da pirataria. É um programa que, com base nos critérios mais esotéricos possíveis, decide se você é um comprador legítimo ou um pirata desonesto que tem mais que... você sabe. Só que os piratas estão pouco se lixando para esse tipo de proteção, uma vez que as cópias ilegais já vêm com o DRM devidamente extraído. Então, no final, os únicos que são obrigados a passar pela avaliação do DRM são justamente os usuários honestos. E é muito comum que o DRM acabe impedindo que esse jogador legítimo aproveite o produto pelo qual pagou.

Exagero?


Bem, vamos então a um exemplo simples. Estava lá no meu micro, com meu Mass Effect legalizado, comprado a peso de ouro em pré-venda. Pura burrice, porque além de pagar frete, o produto só chegou na minha casa muito tempo depois de já estar nas lojas (Submarino, estou apontando o dedo para você). Fiz o longo processo de intalação e o registro online, informando o precioso serial key, que tanto me custou. Eu estava compreensivelmente ansioso para começar logo a jogar. Mas... nada de conseguir executar o game. Em uma hora dava "erro 6000, falha ao carregar módulo de segurança". Em outra hora simplesmente dava crash para o desktop. Não consegui executar o jogo uma única vez. Não consegui entrar sequer na primeira telinha, a splash screen, apesar de dezenas de tentativas. Boa recompensa pela minha honestidade.


Mass Effect: pague para instalar, reze para jogar

Depois de pesquisar, descobri que o problema não causado pelo jogo propriamente dito. Mas sim pelo tal SecuROM citado acima. Ele é instalado junto com o jogo e a partir daí passa a ter poder de vida e morte sobre meus direitos de executá-lo, em minha própria máquina. No meu caso, decidiu que eu não podia. Muita gente estava enfrentando dificuldades semelhantes, seja no Mass Effect, seja em outros títulos que usam o malfadado programa. Que, por sinal, não é desinstalado mesmo que você remova o jogo. Legal ou quer mais?

O Mass Effect parece ser particularmente afetado pelo mau-humor do programa. Ele pode encrencar com qualquer coisa que você tenha instalado na máquina, como Alcohol, Daemon Tools, etc. Dependendo dos processos que estiverem rodando, você não vai conseguir passar na avaliação do Capitão Nascimento cibernético. No Vista então, nem se fala. Tentei mil e uma soluções sugeridas na net, apenas para descobrir que cada caso é um caso, até porque as versões de SecuROM variam dependendo do título. No caso do Mass Effect, muitos usuários teriam que esperar um update, sem direito a choro.

Resolvi fazer uma última tentativa, e rodei o Mass Effect com privilégios de administrador, e em modo de compatibilidade com o Windows XP, com os softwares acima citados devidamente desinstalados e apenas alguns processos em memória. Então, e só então, eu finalmente consegui suplantar a nefanda telinha do erro de segurança do SecuROM, e começar a usufruir do produto pelo qual eu honestamente paguei. Só não sei se o mesmo procedimento funcionaria para outros, já que não existe uma receita de bolo para resolver os problemas que esse monte de lama causa. Ele pode encrencar ou então ignorar certas coisas. É imprevisível. Acenda uma vela. Contrate um pai-de-santo. A Babalorixá Eni anda aceitando ticket-restaurante.

Fico pensando... você paga 100 reais para não ter dor de cabeça, não ter aborrecimentos, não precisar de gambiarras, mas é justamente isso que você obtém pelo seu dinheiro e sua honestidade. Porque se você baixasse um piratex via torrent/emule, obteria uma versão sem essa pilantragem de DRM, e sem os infernais problemas causados por ele. E ainda poderia fazer quantas instalações desejasse. E não precisaria se preocupar com uma série de detalhes técnicos que a maioria dos usuários leigos não faz a menor idéia.

Enfim, soluções como o SecuROM e outros DRMs apenas penalizam os usuários legalizados. Fico até vendo os piratões apontando o dedo para nós e dizendo "Haha!", como aquele Nelson Muntz dos Simpsons. Definitivamente, o crime compensa.

SecuROM, morra. Bioware, parabéns.

OUTROS POSTS

2 comentários

Por favor, fique à vontade para comentar, criticar ou sugerir. Mas não será permitido trolling, bullying, spam, preconceito e ataques meramente pessoais ou destrutivos.