Planetóide X

Dragon Age 2 Será Mais Curto e Mais Cinematográfico [UPDATE 2]

terça-feira, março 01, 2011 José Guilherme Wasner Machado 7 Comentários Categoria: , ,

Driblando toda a concorrência, o Planetóide X revela uma arte conceitual de Hawke para Dragon Age 3.
Engole essa, Gamespot!

[via RPG Codex] Como se nós já não tivéssemos adivinhado. Na GDC 2011, o responsável pela localização de Dragon Age 2 divulgou algumas estatísticas do jogo, comparado com seu ilustre antecessor. Vamos a elas:


Dragon Age: Origins
  • 1.000.000 palavras
  • 1.000 sequências de vídeo
  • 1.000 personagens
  • 56.000 linhas de diálogo
  • 60 horas de jogo
Dragon Age II
  • 400.000 palavras
  • 2.500 sequências de vídeo
  • 500 personagens
  • 38.000 linhas de diálogo
  • 40 horas de jogo
Para quem duvida do emburrecimento da franquia, aí está a demonstração matemática. Pela progressão, Dragon Age 3 terá 160000 palavras, umas 20 e poucas horas de jogo e 6300 sequências de vídeo. Em Dragon Age 4, a Bioware chegará à conclusão de que fazer jogo não é mais com ela, e contratará Uwe Boll para dirigir um longa-metragem direto para DVD. Aguardem futura venda casada com Dungeons & Dragons 1 & 2.

Enfim, rir é a melhor solução...

[UPDATE] O RPG Codex publicou um sumário do review da Gamestar, uma revista alemã. A confiar no resenhista, o demo de Dragon Age 2 aparenta ser mesmo uma amostra representativa do que nos espera no jogo final. Há pontos positivos e negativos, muitos deles já adivinhados ou deduzidos por aqui. O resultado não me animou. Confiram!

Pretendia comprar o jogo logo no lançamento, mas agora só o farei numa boa promoção.

[UPDATE 2] Recomendo fortemente a leitura desse artigo aqui do site Hooked Gamers. Intitulado "Dragon Age 2: O Declínio do RPG Clássico", é muito interessante para todos aqueles que, assim como eu, estão preocupados com os rumos que esse amado e maltratado gênero tem tomado nos últimos anos.

Veja Também:

OUTROS POSTS

7 comentários

  1. É, isso foi decepcionante.Agora já tenho certeza do pior.Mas sei lá, tamanho não é qualidade né?(Tá, Baldur's Gate 2 é ótimo e tem mais de 100 horas, mas a esperança é a última que morre certo? rs)

    ResponderExcluir
  2. Não, você tem razão, Marcel. Tamanho não é qualidade, ou pelo menos não costuma ser. Talvez eu tenha pegado pesado aqui. Mas, por outro lado, bons RPGs, via de regra, possuem muito conteúdo textual. E isso lhes dão mais profundidade, mais complexidade de história, personagens mais bem desenvolvidos, etc. De qualquer modo, esse é um indício a mais de que a Bioware apontou mesmo os seus canhões em direção ao público mainstream, e que o seu público tradicional não tem mais tanta importância para ela. Influência da EA? Jamais saberemos! Gostaria que o vetor ficasse no meio de campo, mas acho que não será assim, infelizmente.

    De qualquer forma, a Bioware sempre produz bons jogos, e mesmo que esse tenha pouco de RPG, e seja feio que nem o capeta, acho que será divertido de jogar, ainda assim.

    Abração!

    ResponderExcluir
  3. Acho que é influência do dinheiro mesmo, Wasner. Nunca joguei Dragon Age e nem pretendo, mas estou com muito medo de Mass Effect 3.
    A Bioware criou uma lenda com o primeiro e conseguiu a proeza de lançar uma continuação que em muitos aspectos supera o primeiro. Claro, o fato de ter os 3 "capítulos" da série já planejados com o lançamento do primeiro ajuda muito, mas ainda assim é algo incrível quando comparado ao número de sequências abomináveis (sim, Invisible War, estou olhando feio p/ vc!).
    Até agora, nada do que foi revelado sobre o jogo me deu motivos palpáveis p/ tanta preocpação. É simples e puro medo de um fã incondicional da série que teve péssimas experiências com continuações de filmes, livros e jogos.

    Do fundo do meu coração, espero que ME 3 não siga o mesmo caminho de Dragon Age 2.
    Oremos.

    ResponderExcluir
  4. Concordo, Bruno, o fator dinheiro é o mais importante aqui. E tem que ser mesmo. Produzir jogos não sai barato, e a desenvolvedora tem que garantir seus lucros, no que está corretíssima. Quanto maior o lucro, maior a chance de vermos novos jogos das nossas franquias prediletas. Mas quando nossas franquias prediletas são tão modificadas que perdem a identidade original, "que vantagem maria leva"?

    O mercado de games está numa encruzilhada, com essa necessidade de atingir o maior público possível. Pois a verdade é que não dá para agradar gregos e troianos, e o que acaba ocorrendo é que as minorias sempre sobram, as diferenças e a diversidade são solapadas, os nichos vão sendo extintos e a criatividade vai pro saco. Não é acidental que cada vez mais todos os títulos se pareçam muito uns com os outros.

    Eu enxergo tudo isso com razoável preocupação. No caso da Bioware, nem tanto as mudanças de DA:O para DA2... mas as mudanças acumuladas nos últimos anos, na filosofia de RPGs da desenvolvedora.

    Abração!

    ResponderExcluir
  5. A coisa ta meia estranha para a biowarEA!A começar pelos scores de usuarios no metacritic,passando pelo DRM secreto,seguindo pelo banimento em foruns onde um rapaz perdeu o direito de jogar o jogo por 72 horas somente pelo fato de ele expressar uma opinião até chegar a esse video no youtube feito por um ex funcionario de lá http://www.youtube.com/watch?v=hMcVZQI6ybw. Agora em defesa dos JRPGS ,onde eu sei que vc e um detrator de longa data, pelo menos eles não traem seu publico original e mantem sua formula lançando jogos com enfoque na história ou jogos de tatica em turnos(alguns também com escolhas e consequencias)Comparando eles com os de cá da para ver a diferença onde os mais conceituados(infelizmente)são os hibridos.Pra terminar Acho interessante o fato de vc colocar o link do rpg codex onde a comunidade de lá é bastante critica da bioware e bethesda nesta geração.

    ResponderExcluir
  6. Verdade, Breno. Dessa vez a Bioware traiu seu público tradicional, coisa que os JRPGs, em sua maioria, não fizeram. Tomara que o preço tenha valido para ela. Porque a julgar pelo "user score" do Metascore, o povo não anda muito feliz com ela. E nem eu.

    Com relação ao RPG Codex, eu nem sempre concordo com o que eles defendem - até diria que não concordo na maioria das vezes. Acho-os por demais radicais e bem pouco flexíveis. O conceito de RPG que eles defendem, apesar de ser o conceito de RPGs DE VERDADE, e com o qual concordo totalmente, não sobreviveria no mercado atual. É uma pena, mas é a verdade, é preciso ser prático. Então é necessário ceder, é necessário aceitar as mudanças. Até um certo ponto. Pois o problema é quando essas mudanças chegam a tal ponto que pouco ou nada sobra do conceito original. Quando o jogo atravessa uma linha e passa para outro gênero. E aí, é o mesmo que desaparecer, não é?

    Eu, portanto, fico no meio de caminho entre o RPG Codex e o RPG Watch (que, por outro lado, costumam aceitar tudo alegremente). Mas se eu não concordo 100% com o Codex, pelo menos admiro a defesa incondicional dos seus ideais, o que nem sempre é fácil de fazer. Nunca é fácil ser minoria, nunca é fácil ser antipatizado. Mas ainda bem que eles estão dispostos a tal, pois a diversidade de idéias é que alimenta a evolução. Se todos pensassem igual, o mundo seria um lugar bem estéril e sem graça.

    É isso que a Bioware desaprendeu, ela que agora caminha célere em direção ao lugar comum. Foi o seu diferencial que a trouxe até aqui. E agora ela é apenas mais uma, perdida entre tantas outras que fazem exatamente o mesmo que ela.

    Abração e volte sempre!

    ResponderExcluir
  7. Na minha opinião, o DA 2, apesar de mais curto, tem uma jogabilidade muito superior ao Origins.

    Falo isso porque zerei o Origins com todos os personágens e jgoar com mago, por exemplo, é uma tristeza. Já no DA2 dá pra jogar de verdade com um mago, pois tem golpes mais poderosos, especializações mais atraentes e uma mobilidade maior.

    Ainda não zerei o DA 2, mas não tenho muito o que reclamar (com exceção de um ou dois bugs). Espero não me decepcionar com o restante do jogo.

    Grande abraço!
    Ótimo blog!

    ResponderExcluir

Por favor, fique à vontade para comentar, criticar ou sugerir. Mas não será permitido trolling, bullying, spam, preconceito e ataques meramente pessoais ou destrutivos.