Planetóide X

Videogames Podem Matar? Sim!

terça-feira, abril 12, 2011 José Guilherme Wasner Machado 2 Comentários Categoria:


O programa desta noite tentará responder a pergunta que hoje domina a mente de pais e educadores. Afinal de contas, os chamados "jogos eletrônicos" são mesmo perigosos? Os videogames, como são conhecidos pelos iniciados, podem matar? Aquele inocente "joguinho", que absorve completamente a atenção do seu filho por horas, pode representar um risco de segurança para ele e sua família?

Descubra também como um jogo produzido nos Estados Unidos, sucesso de vendas entre a garotada, está transformando toda uma geração em potenciais assassinos.

Sim. O perigo pode estar em seu próprio lar. E neste mesmo instante.



(...) meu sobrinho Walterdisneison (*) veio passar uns dias aqui em casa (...) o moleque esqueceu um disco de GTA no chão (...) meu velho não viu, escorregou no disco (...) bateu a nuca na mesinha de centro (...) morte instantânea (...) todos chocados (...) ele era muito querido na vizinhança (...) tinham que proibir essa coisa.


(...) minha irmã, a Gertrudes, foi tentar puxar o bordado dela, na prateleira de cima do armário (...) nosso neto tinha guardado seu pleis... pleius... Plesteixon 3, é isso mesmo? Pois é, aquela coisa medonha "tava" ali por cima (...) um peso enorme, enorme, um perigo, eu sempre disse (...) mas ele não me escutava nunca. Nunca (...) essa juventude de hoje... perdida... perdida... (...) A Trudi? Sim, ela puxou sem querer, caiu por cima dela, coitada (...) crânio esmagado na hora, um horror (...) rezo todo dia para ela, pobrezinha (...) depois abriram aquele aparelho preto horrível (...) o tal do joguinho ainda "tava" lá (...) "GTA"? Sim, isso, "GTA". Foram os policiais que me contaram (...) na hora não acreditei (...) meu neto! (...) um absurdo (...) Isso tem que acabar.


(...) meu primo Baraquiobamison sempre jogava naquele xisbóxis dele, por horas (...) Trabalho que é bom, nada (...) o pai desesperado, nem te conto (...) Sim, GTA. Todo dia. Todo santo dia (...) um vagabundo, sim, mas não devemos falar mal dos mortos (...) a conta de luz, um absurdo de caro, todo mês (...) sim, esquentava demais, o bicho (...) um dia, a tomada não aguentou (...) morreram todos carbonizados (...) curto-circuito, foi o que o bombeiro falou. (...) Ninguém faz nada, ninguém proíbe, esse é o nosso país!

(*) Os nomes que aparecem nessa reportagem foram alterados para proteger os entrevistados.

Veja Também:

OUTROS POSTS

2 comentários

  1. nosso neto tinha guardado seu pleis... pleius... Plesteixon 3, é isso mesmo? Pois é, aquela coisa medonha "tava" ali por cima

    Cara muito bom,,quando vai ter novos post?

    ResponderExcluir
  2. Obrigado! :-)

    Ainda não sei, talvez na segunda metade de outubro.

    Abraços!

    ResponderExcluir

Por favor, fique à vontade para comentar, criticar ou sugerir. Mas não será permitido trolling, bullying, spam, preconceito e ataques meramente pessoais ou destrutivos.