Links Cabeçalho

26/02/2015

Wasteland 2: Primeiras Impressões


Wasteland, de 1988, é tido por muitos como um dos melhores CRPGs de sua época. Não acidentalmente, serviu de forte inspiração para outra franquia famosa, que surgiria quase uma década depois: Fallout. Com um retrospecto destes, não é de se admirar o entusiasmo com que foi recebido o anúncio da sua continuação, via Kickstarter. O apoio ao projeto foi maciço, com as contribuições alcançando quase três vezes o valor da meta inicial. A confiança dos investidores não se baseou apenas na importância histórica do jogo, mas também pelo envolvimento direto de vários dos profissionais que nele trabalharam. Entre os quais o próprio Brian Fargo, diretor de projeto na ocasião. Ter um time desses no comando era a garantia de que a série não seria descaracterizada, como ocorreu, por exemplo, com Fallout.

18/02/2015

Sword Coast Legends disputa o legado de Baldur's Gate


Com algum atraso - a agenda anda apertada - falo rapidamente aqui de Sword Coast Legends (daqui para frente, SCL, para simplificar), o primeiro CRPG em um bom tempo a licenciar oficialmente a franquia Dungeons & Dragons. Nesta altura do campeonato, não há muito o que se dizer. O jogo irá se situar na Sword Coast (obviamente), uma das regiões mais conhecidas de Faerûn, o principal continente de Forgotten Realms. Que é, por sua vez, a campanha mais popular de D&D. Jogadores veteranos já puderam passear por estas vizinhanças em outros títulos, mais notadamente nas séries Baldur's Gate (com o qual SCL muito se inspira, como veremos a seguir) e Neverwinter Nights. Será que visitaremos novamente cidades como Trademeet, Baldur's Gate e Athkatla? Adoraria apreciar uma nova interpretação artística para elas. Os desenvolvedores prometem que veremos não apenas locais familiares, mas personagens familiares também. Elminster e Drizzt Do'Urden, talvez?

16/02/2015

O que um PC (e alguns MODs) pode fazer por você


Uma das grandes vantagens que um jogador de PC tem sobre seus colegas dos consoles é a possibilidade de usar MODs. Com os MODs é possível aperfeiçoar, ampliar, consertar, acrescentar novos recursos e adaptar um jogo ao gosto do freguês. Não menos interessante, é possível evoluir substancialmente a aparência destes jogos. Muitas vezes fazendo-os avançar para a geração gráfica seguinte.

Vamos conferir alguns poucos exemplos bacanas?

12/02/2015

Dragon Age: Inquisition - Uma Resenha


Se eu tivesse que escolher uma palavra para resumir minha experiência com Dragon Age: Inquisition, ela seria "decepção". Após ler tantas análises positivas, confesso que também embarquei na onda de entusiasmo. Chame de wishful thinking, se desejar. Mas assim que as horas de jogo se acumulavam, minha boa vontade foi sendo substituída, aos poucos, por desapontamento e frustração. Ao finalmente terminar, refleti se o jogo havia compensado o alto investimento feito por mim, tanto de tempo quanto de dinheiro. A resposta, infelizmente, é um expressivo "não".

04/02/2015

Relembrando... The Bard's Tale (1985) [UPDATE]


Os tempos são mesmo promissores para os fãs de CRPGs Old School. A inXile Entertainment, que lançou recentemente uma elogiada continuação para o clássico Wasteland, anunciou que irá ressuscitar outra franquia natimorta. Falamos aqui de The Bard's Tale, da saudosa (e finada) Interplay. Para vocês terem uma idéia, o último jogo da série, The Bard's Tale III: Thief of Fate, foi lançado há vinte e sete anos atrás, em 1988. Dinossauros caminhavam então sobre a Terra. Eu sei, eu estava lá.