Planetóide X

Mods pagos no Steam. E por que você deveria se preocupar com isto. [UPDATE]

sexta-feira, abril 24, 2015 José Guilherme Wasner Machado 4 Comentários Categoria: ,

 ... e já começou a zoação...

Como os leitores antigos desse blog já devem ter percebido, sou grande fã de mods. Para mim, a livre criação e uso de mods está entre as grandes vantagens do PC Gaming sobre as plataformas proprietárias (leia-se: consoles). Os mods beneficiam os jogadores de forma dramática, não apenas corrigindo ou aperfeiçoando um título, mas também permitindo que os usuários customizem um jogo de acordo com suas preferências e anseios pessoais.

Ao beneficiar os jogadores, os mods ajudam, por tabela, aos desenvolvedores e publishers. Com mods, seus jogos se tornam mais atraentes, mais estáveis, mais abrangentes e mais longevos. E, consequentemente, vendem mais e por mais tempo. Não é raro vermos pessoas comprando jogos antigos da Bethesda, como Morrowind ou Fallout 3, encantadas com a transformação dramática que os mods operam nestas produções.

Cities: Skylines é um título que vem fazendo enorme sucesso, e isso se deve em grande parte ao fato de ser totalmente aberto ao modding. Todos os dias surgem novas edificações, novos recursos de jogabilidade, novos tipos de transporte e de conexão, novos recursos gráficos, novas formas de analisar os dados... a lista é longa. Pense no dinheiro, no tempo e no esforço que a desenvolvedora teria que gastar para implementar tudo isso por si mesma. Em vez disso, ela coloca a comunidade para trabalhar e lucra - um bocado! - com o esforço alheio.

Sim, a idéia por trás dos mods é poderosa. É um daqueles conceitos transformadores, sem retorno. Quem experimenta o poder dos melhores mods, dificilmente volta a se conformar com uma versão não "modável" de um título, como ocorre nos consoles.

Em vista disso, foi com surpresa e bastante apreensão que recebi a notícia de que a Bethesda, em parceria com o Steam, passaria a oferecer aos modders a possibilidade de cobrar por suas criações... levando, claro, um pedaço da ação. Um bom e suculento pedaço. 75% do valor de venda, para ser mais preciso. Sim, o autor do mod, que fez todo o trabalho, trabalho este que já beneficiava (e muito) a dona do jogo, leva apenas 1/4 da grana. Vito Corleone teria orgulho.

Vejo nisso um cinismo e uma ganância difíceis de aceitar. Se o objetivo aqui fosse premiar os modders, o justo seria que no mínimo - no mínimo! - o dinheiro fosse dividido em partes iguais. Mas não. Querem apenas monetizar mais ainda em cima de uma iniciativa cujo principal beneficiado sempre foi a dona do título. E monetizar de uma forma abusiva, que beira o confisco.

Mas... sejamos justos. Para tudo na vida existe um lado bom e um lado ruim. Vamos tentar analisar aqui os dois lados da moeda.

The Good

- Ok, alguns mods que antes eram de graça passarão a ser pagos. Nada mais justo do que recompensar o esforço desses caras talentosos, não é? E assim garantir a continuidade do suporte e do desenvolvimento dos nossos mods prediletos. Se antes faltava incentivo para tal, agora não falta mais. Um incentivo pequeno, considerando que apenas 25% do valor de venda ficará com o modder.

- Mais gente talentosa se sentirá atraída para este novo mercado. Poderemos até mesmo ver desenvolvedores e designers profissionais encarando os mods como um serviço freelance, para arrecadar uns trocados a mais.

- Se você pagou por algo, passa a ter o direito de reclamar contra bugs e defeitos. Resta saber se o "troco de padaria" que os modders receberão compensará as dores de cabeça com clientes insatisfeitos.

The Bad

- É extremamente comum um mod evoluir ou estender o trabalho de outro. Ou usar recursos disponibilizados por um terceiro, como texturas, meshes, shaders, sistemas de clima e iluminação, etc. Também é muito comum que vários amigos dividam o trabalho de um mod especialmente ambicioso. Como tudo é gratuito e ninguém está tentando lucrar em cima do esforço alheio, não costumam ocorrer problemas, desde que os devidos créditos sejam dados. Com grana envolvida, isso tende a acabar. Há aqui um potencial enorme para destruir o espírito colaborativo, de amizade e de confiança que se estabeleceu entre os modders. Amigos passarão a ser vistos como concorrentes ou sanguessugas. Velhas camaradagens se extinguirão, à medida que inevitáveis suspeitas, disputas e rivalidades surgirem.

- Se um mod popular de recursos básicos (texturas, shaders, meshes, scripts extenders, etc) passar a ser pago, dezenas ou mesmo centenas de mods que utilizam estes recursos passarão a ser ilegais da noite para o dia. Ou terão que exigir do usuário a compra do mod em questão, o que não deixa de ser uma venda casada. Pense, por exemplo, no imbróglio que envolveria uma possível comercialização do Skyrim Script Extender (SKSE) ou de algumas das texturas mais populares. Por outro lado, muitos modders achariam justo receber parte dos lucros da venda dos "mods de base" que porventura utilizem. Afinal, estes últimos, por si só, pouco acrescentam ao jogo. Sua popularidade depende fortemente dos mods que façam uso deles. Se não fosse pelos "mods usuários", os "mods de base" não teriam nenhum apelo de venda. Por que alguém compraria uma textura ou um extensor de script se eles não forem largamente empregados?

- Se um modder tiver que refazer todo um trabalho do zero para substituir os componentes pagos de terceiros, ou para eliminar conteúdo não aprovado pela dona do jogo, as chances dele desistir e apagar o seu mod são enormes. Se o autor persistir na tarefa, não é improvável que o mod acabe pendendo muito do seu charme e personalidade originais.

- Ganância demais pode provocar um efeito diametralmente oposto ao pretendido. Modders que se sentiram atraídos justamente pelo espírito de colaboração desinteressada entre fãs de um determinado jogo podem ver este amor se transformar em antipatia e rejeição. Não apenas pelo título em questão, mas até pela desenvolvedora/publisher responsável. Os modders tem bastante consciência de que o seu trabalho se reverte em lucros para o dono do jogo. Tornar a exploração do seu esforço em algo ainda mais descarado e abusivo (75% x 25%, lembra-se?) pode destruir a camaradagem que mantém essa turma abnegada dedicada a um determinado título.

- Se eu pego um mod ruim, com incompatibilidades, bugs, etc, o problema e o risco são meus. Enquanto ele foi gratuito, não tenho do que reclamar. Mas se vou pagar por ele, aí história é outra. Não vou pagar por um produto quebrado. E aí, quem se responsabiliza? Pelo visto ninguém, já que a Bethesda e o Steam tiraram o corpinho fora. Eles só darão as a caras para pegar os seus 75%. A gente que se vire. Temos 24 horas para "devolver o produto", e é isso. Mas todos sabemos que este prazo está longe de ser suficiente no que diz respeito a mods.

- Quantos picaretas e pilantras vão inundar o Steam Workshop para ganhar dinheiro fácil e rápido em cima de incautos? Quantos vão roubar conteúdo alheio e vender como sendo seu? Quantos vão prometer mundos e fundos e entregar muito pouco?

- Se um modder resolver comercializar suas criações no Steam, tenha certeza de que elas serão removidas do Nexus, Mod DB, ou de qualquer outro site que ofereça este tipo de conteúdo gratuitamente. Quem acredita que poderá "dar o tombo" e obter estes mods de graça fora do Steam é, provavelmente, muito ingênuo. Um efeito colateral disso é que o Steam pode, aos poucos, monopolizar a maior parte deste conteúdo, ou pelo menos do conteúdo de melhor qualidade. Eu adoro o Steam, mas estou começando a ficar preocupado com a concentração de poder que está ocorrendo ali. Não é nada bom para o consumidor ficar sem opções.

- Mods que implementam correções de bugs do jogo original - ou seja, patches não oficiais - poderão ser cobrados? A dona do jogo vai lucrar até com a correção terceirizada de falhas do seu produto? Seria realmente o cúmulo do cinismo.

The Ugly

Dependendo do sucesso da iniciativa, a dona do jogo pode se sentir tentada a fechar a plataforma, obrigando todos os mods a passar pelo seu crivo. Mesmo os gratuitos. Mods não autenticados e assinados digitalmente pela desenvolvedora/publisher não seriam aceitos pelo executável do jogo, fechando a porta na cara dos que não aderiram ao esquema. Isto não é de todo improvável. A partir do momento que ela leva grana por um produto, mesmo indiretamente, pode tomar um belo de um processo por conteúdo indevido.

Num cenário como este, qualquer conteúdo considerado minimamente "reprovável" pela proprietária seria banido. Adeus mods de nudez, tanguinhas de cota de malha, peitos gigantes e outros fetiches adolescentes. Mas não ficará apenas isso. Muito do conteúdo considerado controverso ou adulto demais será eliminado também. Nada mais de matar criancinhas em Fallout, por exemplo. Também não serão mais liberados MODs que utilizem propriedade intelectual alheia, para evitar processos por royalties. Vá se despedindo de armaduras do Batman, de dragões "Pequeno Pônei" ou de campanhas "Game of Thrones" em jogos de estratégia. Ou naves de Star Wars ou de Star Trek em jogos espaciais. Será o fim da liberdade e da anarquia criativa que tornaram os mods o terreno fértil da imaginação que é hoje.

Claro, aparecerão hacks, mas aí voltaremos aos velhos tempos da pirataria, onde teremos que substituir executáveis e bibliotecas por outras de procedência duvidosa. Nos arriscaríamos a ser banidos ou punidos. Teríamos que desativar atualizações automáticas, perdendo o benefício de patches. E muito mais.

Dúvidas

- Os mods que já estão instalados nas nossas máquinas: se passarem a ser pagos, ou forem invalidados por conterem elementos de mods pagos, serão removidos automaticamente pelo Steam? Lembrando que isso pode invalidar saves do jogador, quebrar quests, etc.

- E como fica o Nexus nesta história? Também será obrigado a remover estes mods automaticamente, por meio do seu instalador?

- Se um mod que altera o executável (script extenders, por exemplo) for aceito para comercialização, a Bethesda dará suporte oficial para ele? Uma atualização automática de versão, por exemplo, quebraria este mod. Enquanto ele é gratuito, não temos direito de reclamar. Mas se eu paguei por ele, e a Bethesda e o Steam recebem 3/4 do meu pagamento, não podem simplesmente lavar as mãos, por mais que queiram.

Como se vê, esta é uma questão espinhosa. Não há respostas fáceis para as questões e problemas que estão surgindo com esta nova iniciativa. Só espero que um dos alicerces do PC Gaming não seja destruído pelo imediatismo e excesso de ganância de alguns. O tempo dirá.

Update (27/04/2015)

A Valve resolveu retirar do Steam a funcionalidade de mods pagos, prometendo reembolsar a todos que já compraram alguma coisa neste interím. Ela própria acabou admitindo que não sabia muito bem o que estava fazendo. Horas antes, a Bethesda havia publicado um posicionamento muito, mas muito picareta cínico recheado de meias-verdades (IMHO) sobre a questão, um verdadeiro primor da dialética e da cara de pau (via @DrTeflon).

Veja Também:

OUTROS POSTS

4 comentários

  1. No início, via essa situação através de uma óptica "sem maldade", acreditando que conteúdo pago e gratuito poderiam existir amigavelmente, mas o seu texto me fez refletir sobre pontos que eu não havia considerado.

    Cheguei a pensar que algumas desenvolvedoras até facilitariam o acesso a editores, adoro essas coisas, fiquei maravilhado quando pude colocar a mão na massa, e editar algumas cidades de Skyrim, mas ai surgiu o seu texto e me deixou na dúvida. E se meu mod não for validado? Não poderei usar algo feito por minhas mãos e para meu uso pessoal?

    Ingenuidade a parte, cruzo os dedos na esperança de que a Valve reveja as condições dessa iniciativa e crie algo justo. Porém, tendo em vista do que ocorre com CS:GO, não creio que tenhamos algo muito "justo" nos planos do tio Gabe.

    A propósito, o blog é incrível, não só pelo estética admirável, mas principalmente pelo material intimista e de personalidade. Parabéns, e obrigado pela oportunidade de reflexão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela gentileza, Fausto! :))

      Acho que muita água ainda vai rolar debaixo dessa ponte. A idéia em si não é ruim por princípio. Acho mais do que justo premiar de alguma forma o trabalho dos modders, do qual todos usufruímos. Mas a forma como a Valve e a Bethesda implementaram isso me pareceu oportunista, descaradamente abusiva e irresponsável com as consequências para os outros... mas talvez eu esteja enganado, ou sendo excessivamente pessimista. Ainda é cedo para dizer no que isso vai dar. Do jeito que a coisa está, o negócio é ótimo para a Valve e a Bethesda. Pega o seu dinheiro (75%) e tchau. Quaisquer problemas, inclusive legais, os modders que se virem com eles.

      Aos que forem embarcar nessa, só digo uma coisa: tenham muito cuidado, pois estão pisando num terreno bem pantanoso. Eu esperaria até a situação clarear mais. Evitaria ser um early adopter antes de conhecer todas as consequências e responsabilidades que virão em troca do pagamento.

      Grande abraço!

      Excluir
  2. Eu sou um jogador de consoles incorrigível, então não posso falar muito sobre o assunto. Mas é sempre algo ruim quando a criatividade precisa ser afunilada por questões financeiras. Acho que nem tudo está perdido por causa da coexistência dos mods pagos e gratuitos. Ainda assim, os moders deviam boicotar esse sistema até que a Bethesda resolvesse dar uma parcela mais justa dos ganhos. Não acho totalmente justificável esse argumento de que "o moder teve todo o trabalho, então deveria levar tudo". temos que lembrar que qualquer trabalho que o moder tenha desenvolvido foi feito em cima de algo que não lhe pertence, independente das empresas lucrarem ou não com a divulgação e prolongamento da vida útil do jogo. mas acho que os tempos são outros, e as relações entre empresa e consumidor devem ser reavaliadas. é só olhar para o caso dos criadores de conteúdo de youtube e a maioria das empresas (tirando a nintendo dessa conta, claro) de games, que percebem o quanto têm a ganhar com publicidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Shadow! Também não acho que os modders deveriam levar tudo, nem disse isso no meu texto... mas mais de 25%, com certeza. Estou mais do que disposto a pagar por um bom mod... mas não se souber que 3/4 do dinheiro vai para a Valve e a Bethesda, não o modder que eu quero premiar. E por um produto que já beneficia de mil maneiras a dona do jogo, muitas vezes corrigindo problemas sérios da produção.

      Abração!

      Excluir

Por favor, fique à vontade para comentar, criticar ou sugerir. Mas não será permitido trolling, bullying, spam, preconceito e ataques meramente pessoais ou destrutivos.